sexta-feira, 3 de julho de 2015

Um ano de Copa - O Uruguai vendo a Copa do Mundo

Uruguaios reunidos em frente à Intendência de Montevidéu para assistir aos jogos

* por Rossina López Cuevasanta

Meu nome é Rossina e sou uruguaia. Atualmente moro na capital do país, Montevidéu, mas minha cidade natal é Paysandu, localizada ao noroeste do Uruguai.

Gosto muito de futebol e sou fanática pelo Nacional. Sempre vou ao Gran Parque Central (GPC), estádio do Bolso, e também ao Centenario para torcer pelo Uruguai. Nesta oportunidade, vou falar da seleção uruguaia, a Celeste, e como acompanhamos a Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, país vizinho ao nosso.

Vou começar comentando pelo Mundial  anterior, realizado em 2010 na África do Sul, quando a Celeste foi a última equipe sul-americana a continuar na competição. Ao ter passado em primeiro na fase de grupos e eliminar a Coréia do Sul nas oitavas, o Uruguai encararia Gana pelas quartas.

Esta partida foi emocionante e todos os uruguaios ficaram com o coração na mão. Gana saiu na frente e Forlan, que fazia um torneio estupendo, empatou. O jogo foi para a prorrogação, onde no último minuto, Luis Suárez evitou um gol ganês com a mão. Pênalti e o nosso atacante foi expulso.

Suárez, a grande estrela da Celeste

Quando todos pensavam que o Uruguai seria desclassificado, o jogador ganês perdeu a cobrança e, na decisão por pênaltis, o Uruguai garantiu vaga nas semifinais, com direito a cavadinha de Sebastian “Loco” Abreu. Bem, seu apelido cabe bem a ele, pois só um louco para cobrar um pênalti decisivo daquela foram (risos).

Nas semifinais, o Uruguai jogou contra a Holanda e perdeu por 3 a 2. Este foi um resultado que, para nós, houve muita ajuda da arbitragem, sempre favorecendo o rival. Mesmo assim, para os uruguaios, a Copa de 2010 foi um motivo de festa, mesmo com o quarto lugar. A última vez que a Celeste chegou às semifinais foi em 1970. Os jogadores foram recebidos no país como campeões. Aliás, foi isto que aconteceu no ano seguinte, quando a Celeste conquistou a Copa América, na Argentina e ainda eliminando a equipe da casa nas quartas de final. A Celeste é a seleção que mais conquistou a Copa América na história, 15 vezes, contra 14 dos argentinos e 8 do Brasil.

Após a Copa do Mundo de 2010 e a competição continental, todos acham que o Uruguai ia retornar à sua época de glórias. Os uruguaios estavam felizes e esperançosos que o “fantasma de 50” iria retornar. Em 1950, ganhamos o jogo final dos brasileiros, em pleno Maracanã, quando ninguém esperava.

Chegou as Eliminatórias e, mais uma vez, o Uruguai ficou com a calculadora na mão. Ficamos com medo de ficar de fora de um Mundial realizado tão perto de casa. Mas a Celeste terminou as classificatórias sul-americanas em quinto e conseguiu se garantir na Copa ao vencer a Jordânia na repescagem.

A Celeste estava no Grupo D, ao lado de Costa Rica, Inglaterra e Itália. Demos azar no sorteio, pois caímos no mesmo grupo de Itália e Inglaterra. Porém, mal sabíamos que quem iria dar trabalho era a Costa Rica, jogo em que o Uruguai perdeu de 3 a 1. Aliás, na abertura do Mundial e no jogo Uruguai e Inglaterra, além de ver os jogos pela televisão, recebia pelo Whatsapp fotos, pois meu amigo Victor e sua esposa Elis estiveram presentes. Disse que no jogo do Uruguai ele era nosso representante. E deu sorte, pois o Uruguai venceu por 2 a 1.

Máscaras de Suárez fizeram sucesso

Ao final da primeira fase, o Uruguai teve uma derrota e duas vitórias, já que venceu a Itália por 1 a 0, em um jogo nervoso. Luis Suárez aprontou uma das suas, mordendo o zagueiro italiano Chiellini. Ele acabou suspenso de todo o Mundial. Não fomos contra a punição, porém ela foi muito pesada, pois até expulso da concentração o jogador foi.

Como fomos o segundo do Grupo D, enfrentamos o primeiro do C, a Colômbia, no novo Maracanã, pelas oitavas. Mas, sem Suárez na equipe, os colombianos jogaram melhor e eliminaram a Celeste. Assim, os jogadores voltaram para casa de cabeça baixa, pois a ‘aventura’ tinha terminado de uma forma menor do que todos esperavam.

A imagem que a Copa do Mundo de 2014 teve aqui no Uruguai, como organização, foi que poderia melhorar em alguns aspectos, como o problema das manifestações e o atraso das construções, já que alguns estádios ficaram prontos em cima da hora. Sei que a incredibilidade era muita, mas sei também que não é fácil organizar uma Copa do Mundo.


* Rossina López  Cuevasanta, 22 anos, é estudante de Ciências Econômicas e Administração, mora em Montevidéu, mas é natural de Paysandu, ambas as cidades uruguaias, e torce para o Club Nacional de Futbol.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações