segunda-feira, 22 de junho de 2015

Coréia do Sul 2 x 4 Argélia - Jogo de seis gols em Porto Alegre

Argelinos comemoram um dos gols contra os coreanos

* por Jonathan Queiroz Marques da Silva

Quando soube que a Copa do Mundo de 2014 seria realizada no Brasil, a primeira coisa que pensei foi em ir aos jogos da seleção e, se possível, tirar férias no período para acompanhar a nossa equipe. Infelizmente, isto não foi possível, mas aproveitei o evento do início ao fim, indo à Fan Fest em praticamente todos os dias, a bares e tive a sorte de ir a uma partida. 

Comprei o ingresso para o jogo Argélia e Coréia do Sul pelo site da FIFA, após várias tentativas e uma corrida insana em uma manhã de meio de semana. Essa partida era a opção mais barata e acessível em final de semana. Além disso, era um dos últimos jogos disponíveis naquele dia. Na hora em que obtive o ingresso, minha menor preocupação era chegar a Porto Alegre. 

A ida para a capital gaúcha foi tranquila. Saímos de São Paulo na manhã de domingo, dia 22 de junho para um bate e volta, pois o voo de retorno estava marcado para logo depois do término da partida.

Beira-Rio antes da partida

Recordo-me que, na saída de Guarulhos, viajamos com um avião cheio de argelinos e sul- coreanos que estavam bastante animados. A chegada ao estádio não foi complicada, porque já conhecia Porto Alegre. Para que ficássemos nas proximidades, pedimos ao taxista que nos levasse ao Shopping Praia de Belas. De lá, fomos à Fan Fest e depois, uma hora antes da partida, caminhamos ao Gigante da Beira Rio.

A partida começou com as duas equipes jogaram um futebol muito ofensivo. Os argelinos mostravam mais qualidade individual e facilidade em manter a posse. Além disso, o time africano também possuía atletas fisicamente mais fortes, o que facilitou nas jogadas aéreas. 

A Argélia marcou 3 a 0 ainda no primeiro tempo. A Coréia do Sul descontou com um gol, mas os argelinos aumentaram com um golaço do Brahimi logo em seguida. Menos de cinco minutos depois, os sul-coreanos anotaram seu segundo gol, dando números finais. Argélia 4, Coréia do Sul 2. Em resumo: a partida foi ótima! 

Além da ótima partida, o clima dentro e fora do estádio era o melhor possível. Houve muita interação, conversas sobre cultura dos países, como cada um vivia o futebol e vontade de conhecer tudo o que era possível sobre os locais visitados.

Ao final da partida

Conversei com diversas pessoas, sobretudo argelinos, que eram muito acessíveis. Muitos deles mostravam vídeos sobre a seleção argelina, apresentando jogadores e sempre mantendo suas vestimentas que os caracterizavam.

Nas Fan Fests de São Paulo, fiz amizade com uma família chilena e uma fotógrafa escocesa que acompanhava a torcida inglesa no dia da estreia deles contra a Itália. Os encontrei outras vezes ainda durante o evento, sendo que com os chilenos ainda mantenho contato via internet. 

A Copa do Mundo foi uma experiência completamente diferente daquilo que estamos acostumados com nossos clubes. O publico é excelente, pois o desejo geral é de participar da festa e curtir o futebol sob uma organização fora de série. Foi algo ótimo, indescritível!

A Copa ainda deixa saudades em quem gosta de futebol, pois  foi a COPA DAS COPAS!


* Jonathan Queiroz Marques da Silva (ao centro), 32 anos, é analista jurídico, mora em São Paulo e torce para o Juventus



____________________________________________________________


Realizando um sonho no dia da Argélia


* por Emerson Ortunho

Como um apaixonado por futebol, eu fiquei entusiasmado em poder presenciar o maior evento esportivo do mundo no meu país quando anunciaram que o Brasil seria a sede da Copa do Mundo de 2014.

Tentei adquirir entradas para algumas partidas. Comprei ingresso em uma das vendas livres no site, nas primeiras fases de sorteio e confesso que não me agradou o sistema. Talvez nunca na história desse país tenha havido tantos crimes de falsidade ideológica num curto espaço de tempo. Por ética me mantive firme com um único “login” e fui praticamente engolido pelo que se sucedeu, ficando quase sem opções.

Torcida argelina ficou alegre pela vitória

Depois, entre os jogos que se fizeram disponíveis, decidi por um conjunto de fatores, levando em conta ser tecnicamente um “jogo perdido”, ter uma logística financeiramente viável e ainda se encaixar nas minhas folgas. Por isso, escolhi a partida entre Coréia do Sul e Argélia.

O jogo foi disputado em Porto Alegre e fiz praticamente um bate e volta dormindo na cidade de Montenegro, já que em Porto Alegre os hotéis estavam inacessíveis. Mas a estada foi super agradável e o clima de Copa do Mundo ajudou muito no dia.

A partida entre sul-coreanos e argelinos foi ótima, com muita garra e disposição das equipes em um jogo de seis gols. Já em termos de qualidade técnica, não tinha em mente exigir muitos das equipes, pois minha proposta era mesmo assistir um jogo alternativo na Copa.

Surpreendentemente, a Argélia abriu 3 a 0 no primeiro tempo, atropelando a Coréia do Sul. Logo no início do segundo tempo, a Coréia diminuiu, o que deixou o jogo eletrizante, mas o dia era mesmo da Argélia. Fizeram 4 a 1 e mesmo sofrendo mais um gol no fim, conseguiram faturar a partida.

Seis gols em uma partida animada

O clima fora do estádio foi extremamente fascinante. Ver pessoas de vários países se divertindo pelas ruas, interagindo, com um clima de cooperação foi muito agradável, como nunca tinha visto em nenhuma situação ou evento.

Aproveitei para conversar bastante e tirar fotos com pessoas de vários países. Não fiz nenhuma amizade nova, pois na época eu não tinha Facebook e esse era meio que o cartão de visita das pessoas. Em compensação, encontrei velhos amigos por lá e juntos curtimos os afazeres além-jogo que a capital gaúcha nos proporcionou.

Depois de anos me emocionando em assistir a Copa do Mundo somente pela TV, enfim ter a oportunidade de estar dentro de um estádio lotado, com pessoas do mundo todo, unidas pelo futebol, foi genial.

Ver duas pátrias de origens totalmente distintas, enfrentando-se em igualdade de condições, sob as mesmas regras, na nossa casa, foi de derramar lágrimas nos olhos. Realmente um momento único, que talvez só possa ser superado por outro jogo de Copa do Mundo.

Durante a Copa, tentei não ir para nenhum extremo em relação a sua questão social. Não engrossei o coro dos descontentes, mas também não me uni aos altanados que não suportavam nenhuma critica. No fim cheguei à conclusão de que a Copa foi fantástica e me sinto realizado de tê-la vivenciado.



* Emerson Ortunho (o terceiro da esquerda para a direita, com a camisa do Jabaquara), 43 anos, é jornalista, mora em São Paulo e torce para o Jabaquara, o Leão da Caneleira de Santos. Emerson é um dos membros fundadores do blog Jogos Perdidos.
←  Anterior Proxima  → Inicio

0 comentários:

Postar um comentário

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações