terça-feira, 12 de maio de 2015

Um fim de semana de futebol uruguaio – Parte I

Jogo realizado no Gran Parque Central, estádio do Nacional

Menos de um mês antes da criação deste blog, que foi em 7 de abril, eu, Victor de Andrade, passei alguns dias de férias com minha esposa, Elis Rebouças, em Montevidéu, no Uruguai. Entre toda programação de visitas feitas, planejei assistir três jogos do Campeonato Uruguaio em um fim de semana e vou contar a grande experiência de ver jogos do futebol charruá.

Não foi nossa primeira vez na terra de Pepe Mujica e nem o primeiro jogo do Campeonato Uruguaio que vi in loco. Em abril de 2014, assisti Miramar Misiones e Peñarol, partida realizada no Estádio Centenario em que o time Carbonero venceu por 2 a 0. Porém, assistir um jogo em qualquer estádio em Montevidéu é uma experiência fascinante. Imagine então três no mesmo fim de semana?

Antes de falar dos jogos, é sempre bom lembrar a facilidade que é comprar os ingressos para as partidas. Nacional, Peñarol, Defensor e Danubio utilizam as redes de pagamento RedPagos e Abitab para a venda de ingressos. As lojas que representam as duas redes são fáceis de encontrar em qualquer ponto de Montevidéu ou nas outras cidades do país. Portanto, adquirir as entradas, com preços por volta dos 200 pesos (cerca de R$ 22,00 em média), é tranquilo.

Cheguei ao país em uma quinta-feira, dia 12 de março. Minha esposa e eu passeamos pelo Centro e depois pela rambla da capital. Adquiri os ingressos que faltavam durante o passeio, já que os tíquetes para o jogo de sábado já estavam em poder de nossa amiga uruguaia.

A partida foi bastante disputada, mas com muita
ligação direta entre defesa e ataque

Chegou o sábado, dia 14. Por volta do meio-dia, fomos até a casa dos nossos grandes amigos uruguaios, os irmãos Joel e Rossina Cuevasanta. Elis e eu conhecemos Rossina dentro de um ônibus em uma das outras vezes em que estivemos no Uruguai. Ela estava indo para a sua aula de Português e nos escutou falando na língua de Camões dentro do transporte público. Daí nasceu uma grande amizade, que se estendeu entre seus familiares.

Voltando ao dia 14 de março, almoçamos todos juntos, inclusive conhecemos outros familiares deles, a mãe e uma das primas. Depois de uma conversa muito gostosa e proveitosa sobre música e cultura, partimos para o Gran Parque Central para assistir o jogo entre Nacional e o River Plate local. Os irmãos Cuevasanta são torcedores do Bolso, como o Nacional é conhecido. Por isso, tenho uma grande simpatia pelo time.

Chegamos ao estádio e os portões ainda estavam “cerrados”, mas não demorou nem 10 minutos para liberar a entrada dos torcedores. Com os ingressos nas mãos, adquiridos por Rossina dias antes, adentramos ao GPC, achamos nossos lugares rapidamente e ficamos assistindo ao show que “La Banda Del Parque”, a “hincha” do Bolso estava dando antes da partida. Dentro do estádio, conhecemos outra prima e o tio de Rossina e Joel.

No canto direito, a torcida do River

Minha esposa e eu já tínhamos visitado o estádio um ano antes. Porém, não vimos um jogo lá. Elis ficou fascinada com a torcida, já que no ano anterior ela não quis ir comigo ao Centenário, preferindo descansar depois de um dia de passeio em Punta del Este. Para ela, a experiência foi totalmente diferente de um jogo no Brasil, “muito mais empolgante”. Quando o Bolso entrou em campo, a torcida fez uma bela festa. A equipe do River Plate adentrou ao gramado e foi saudar os poucos, mas barulhentos torcedores da equipe, que estavam em um pequeno espaço para os visitantes.

O jogo começou elétrico, no atual estilo em que se joga no Uruguai. Muita ligação direta com o ataque. Dificilmente a bola passa pelos volantes. Mas sempre com um meio-campista que arma as jogadas. De tanto pressionar, o Nacional saiu na frente, com um belo gol, mas tomou empate logo em seguida.

Com o gol sofrido, o Nacional se perdeu em campo. No final da primeira etapa, os visitantes viraram o jogo segundos antes do apito final do árbitro. No segundo tempo, o River recuou e o Nacional tentou o gol de empate na base da pressão, mas não obteve êxito. Foi muito legal ter visto o Recoba jogar por alguns minutos, mesmo com a derrota do Nacional. No final, 2 a 1 para o River Plate.

Alvaro "El Chino" Recoba

O Gran Parque Central é o estádio mais antigo do mundo, que passou por diversas reformas e atualmente está em boas condições. É simples, mas confortável. Os banheiros no setor onde estávamos eram improvisados em contêineres, mas incrivelmente limpos. Para se alimentar, é comum ter churros, empanadas e tortas fritas, não só no Gran Parque Central, como nos outros estádios. Também passam vendedores com garrafas com café. E alguns torcedores assistem aos jogos tomando mate, conhecido por aqui como chimarrão.

Todo esse clima me fez lembrar como era nosso futebol nas décadas de 80 e 90, aquele em que aprendi a admirar o esporte indo a jogos com meu pai e meus tios e, a partir da metade da década de 90, sozinho. Mesmo com algumas características próprias de um ou de outro, a sensação era a mesma. Locais simples, mas muito legal de assistir ao jogo e com um preço acessível. Nada haver com o tão propagado futebol brasileiro de hoje, gourmet e com preços exorbitantes.

Amanhã publicarei a segunda parte, o primeiro jogo da rodada dupla de domingo, que também teve histórias interessantes.

* Quero deixar aqui um abraço especial para Rossina e Joel Cuevasanta, os irmãos que são nossos grandes amigos uruguaios. Aproveito para agradecer todo carinho que eles têm por nós, Victor e Elis, e hospitalidade quando estamos no Uruguai.

Aproveito também para deixar um enorme beijo para minha esposa Elis Rebouças, que me deu força para criar este blog. Então, galera, ela é a culpada! Além disso, ainda a faço encarar minhas loucuras futebolísticas e as outras da vida. Te amo muito!

Na foto abaixo, estão Joel, Rossina, Elis e eu.


←  Anterior Proxima  → Inicio

4 comentários:

  1. Olá Victor. Meu nome é Beto, e achei seu blog meio que por acaso. Sou apaixonado pelo Uruguai e(claro) pelo futebol de lá. Estive duas vezes em Montevidéu. Em 2013 estive com a namorada, e tivemos a oportunidade de ver Uruguai 3 x 2 Argentina, pelas Eliminatórias para a Copa de 2014. E no ano seguinte, fiz uma programação bem parecida com a sua, até porque dessa vez fui sozinho, rs. Assisti aos jogos Peñarol 3 x 0 Cerro no sábado, Montevideo Wanderers 1 x 2 El Tanque Sisley e Nacional 5 x 2 Defensor no domingo, e Peñarol 2 x 0 Jorge Wilstermann numa quarta, pela Sulamericana. Poderia ter ido a mais dois jogos(do Rentistas e do Miramar Misiones), mas achei de bom tamanho esses quatro.
    No mais, parabéns pelo blog. Gosto muito dessas histórias e agora você ganhou um seguidor. Abraço, e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, que legal o seu tour pelos jogos uruguaios e valeu pelos elogios! Um grande abraço!

      Excluir
  2. Vai ter um jogo do river plate do Uruguai contra o penarol ,no estádio saroldi , não achei para comprar nesses sites, na hora do jogo tem como comprar?

    ResponderExcluir
  3. Bruno Rodrigues Silva8 de dezembro de 2016 21:13

    Boa noite, depois de muita procura achei o seu site com informações sobre compra de ingressos! Vou ao Uruguai a trabalho e gostaria de assistir Nacional X Boston River no GPC, mas acredito que no domingo não encontrarei mais ingressos. Como posso fazer para comprar ingressos pela Internet ou será que tem alguma uma outra forma de conseguir? Gostaria muito de assistir um jogo no uruguai!!! Obrigado desde já!

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações