quarta-feira, 20 de maio de 2015

Belenenses: o primeiro a quebrar a escrita

Os campeões portugueses de 1946

O futebol português é dominado pelos três gigantes Benfica, 34 vezes campeão português, Porto, com 27 títulos, e Sporting, que levantou a taça em 18 oportunidades. Só para se ter uma ideia, em toda a história do Campeonato Nacional somente em duas oportunidades nenhum dos três conquistaram o título. O primeiro a quebrar a escrita foi o Clube de Futebol Os Belenenses, na temporada 1945/1946.

Clube fundado em 23 de setembro de 1919, na freguesia de Santa Maria de Belém, em Lisboa, o Belenenses sempre foi a agremiação que mais deu trabalho ao trio de gigantes portugueses por vários anos.

Vasco Oliveira: o craque da equipe

O clube sempre teve sucesso nas Copas de Portugal. Na primeira época de ouro do clube, entre as décadas de 20 e 30, o Belenenses foi três vezes campeão da Copa (1927, 1929 e 1933) e duas vezes vice (1926 e 1932). Além disso, conquistou, no mesmo período, o título lisboeta (1926, 1929, 1930 e 1932). Ou seja, em oito temporadas, só numa delas não conquistaram título, em 1928. Mas, nesta época, ainda não existia a Liga Portuguesa, que teve início com o campeonato de 1934/1935.

Entre a segunda metade da década de 30 e a primeira de 40, o clube resolveu investir na estrutura, como na construção do Estádio das Salésias, que por muitos anos foi considerado o melhor do país. Com isso, apesar de alguns vice-campeonatos, Benfica e Porto dominavam as temporadas, com o Sporting vindo um pouco atrás.

Após o período de estruturação física, o Belenenses voltou a investir pesado dentro de campo. Os resultados começaram a vir e o título passou perto em algumas temporadas. Seria questão de tempo para o clube conquistar seu primeiro campeonato nacional.

Noticiário antes da última rodada

O Belenenses iniciou a temporada 1945/1946 muito bem, brigando pela ponta da competição logo de cara. No final de 45, o clube sagrou-se campeão lisboeta mais uma vez, dando mais força para o elenco conquistar o título da Liga. No segundo turno, veio o período de partidas difíceis, mas o clube conseguiu se sair bem.

O Belenenses conseguiu uma preciosa vitória sobre o Benfica, nas Salésias, e depois conquistou mais uma valorosa vitória, fora de casa, contra o Porto. Manteve-se firme, com mais uma vitória, agora frente ao Olhanense, que vinha bem naquele campeonato. No entanto, a vantagem de apenas um ponto sobre o Benfica, impunha a necessidade ganhar do Elvas na última rodada.

A tarefa não era das mais fáceis. O então Sport Lisboa e Elvas era uma espécie de filial Benfica. Só para esta partida, o time da águia emprestou um técnico por 15 dias. Tudo isso para tentar prejudicar a equipe de Belém.

Torcida invade o campo ao final da partida

E chegou o dia 26 de maio de 1946. Última rodada no campo do Elvas. E o jogo não podia ter começado pior para o Belenenses. Logo aos 2 minutos, o Elvas marcou 1 a 0. O time que disputava o título tentou de todas as formas empatar, mas foi para o intervalo perdendo. E o pior: era preciso mais do que um gol, pois só o empate não bastava.

Ao intervalo, alguns jogadores mais experientes reuniram a equipe e procuraram incentivar todos, dizendo: “nós temos que ganhar isto!”. E voltaram para a segunda etapa cheios de ânimo.

O Belenenses entrou no segundo tempo já em cima do Elvas. Até que aos 21 minutos, Vasco, um dos melhores da equipe, iniciou uma arrancada pela lateral direita e só foi parado com uma falta. Na cobrança, Andrade empatou, para a alegria dos torcedores.

Faltavam 24 minutos e era preciso mais um gol. A equipe agigantava-se e Vasco parecia um titã. Aos 32 minutos, ele novamente iniciou uma arrancada e serviu a bola para Artur Quaresma. Este arrancou para a área e disparou um chute que Rafael desviou para golo. Era o 2 a 1 e o campeonato ficava mais perto.

O tradicional jornal A Bola noticiando o título do Belenenses

Após o segundo gol, o Belenenses acalmou os ânimos e dominou completamente a partida até o apito final. Todos os jogadores levantaram o treinador Augusto Silva e gritavam: “Belém! Belém! Belém”, enquanto o público belenense invadia o campo para celebrar.

O feito foi tão grande que apenas na temporada de 2000/2001, a escrita foi quebrada novamente. O Boavista, do Porto, sagrou-se campeão português. Já o Belenenses, atualmente, fica entre primeira e segunda divisões de Portugal e seus torcedores sempre se lembram da conquista fascinante.
←  Anterior Proxima  → Inicio

Um comentário:

  1. Algo me diz, que o regresso do Grande Belenenses está na forja e não será preciso viver muitos anos, para ver tal acontecimento. Assim a estrutura actual (SAD), se mantenha.

    ResponderExcluir

O Curioso do Futebol

O Curioso do Futebol
Site do jornalista Victor de Andrade e colaboradores com curiosidades, histórias e outras informações do mundo do futebol. Entre em contato conosco: victorcuriosofutebol@gmail.com

Facebook

Twitter

YouTube

Aceisp

Total de visualizações